Seguros Promo

Cuidados e vida útil dos Implantes dentários

Os implantes dentários são uma opção perfeita para solucionar a perda dentária, porém, deve-se avaliar em quais pacientes são indicados, e uma vez colocados, saber os cuidados necessários.

Implantes são fixações feitas principalmente de titânio que substituem dentes perdidos por quaisquer motivos como cárie, traumas, entre outros. São colocados por através de uma técnica cirúrgica e uma fase protética que varia de acordo com o paciente, a mandíbula ou maxila, e o número de peças perdidas.

Para obter as melhores chances de sucesso, ao menos 3 requisitos devem ser considerados:

  • O paciente deve estar totalmente informado sobre as etapas a seguir, as alternativas existentes, os riscos e benefícios;
  • ​Ter volume ósseo suficiente para acomodar os implantes em suas mandíbulas. Na ausência de osso residual suficiente, existem técnicas para obter suporte ósseo adequado;
  • Importante informar-se sobre a manutenção diária dos implantes e das técnicas existentes para uma higienização adequada.

Em que casos o implante não é indicado?

Na prática, quase todas as pessoas são candidatas à colocação de implantes dentários. Entretanto, existem contraindicações relativas e absolutas (doenças não controladas ou alterações relacionadas à coagulação, metabolismo ósseo…) que devem ser analisadas em cada uma delas.

Contraindicações relativas

  • ​Pacientes diabéticos (que apresentam maior risco de infecção ou falta de cicatrização);
  • ​Pacientes fumantes (a principal causa do fracasso dos implantes). Os fumantes têm até seis vezes mais probabilidade de perder implantes do que os não fumantes;
  • ​A colocação destes dispositivos também não é recomendada para mulheres grávidas.

Contraindicações absolutas

Distúrbios de coagulação não controlados;
Pessoas com sistema imunológico enfraquecido;
Aqueles que sofrem de distúrbios do metabolismo ósseo, como osteogênese imperfeita ou osteomalacia.

Cuidados e vida útil dos Implantes dentários

Quanto tempo dura um implante?
Fique atento, pois a duração está diretamente ligada aos cuidados com implantes dentários.

A vida média de um implante é de 25 anos. Uma técnica de implante correta é utilizada e o paciente pratica uma boa higiene, podem prolongar esse período.

O professor da Universidade Miguel de Cervantes destaca que o titânio é um material biocompatível que facilita a sua osteointegração, mas, por vezes, “durante este período de osteointegração, não se forma osso suficiente à volta do implante e não apresenta estabilidade adequada, formando um tecido fibroso entre o implante e o osso”.

A infecção Peri-implantar e a sobrecarga biomecânica são alguns dos fatores envolvidos na perda progressiva de osso em implantes dentários.

“Um implante localizado em leito ósseo adequado, em um paciente em conformidade com a higiene e com os devidos cuidados profissionais, é um implante que não deve ter prazo de validade”.

Cuidados e vida útil dos Implantes dentários

Cuidados essenciais com os implantes dentários.

É claro que a higiene diária e o acompanhamento das revisões são essenciais para prolongar a vida útil dos implantes.

Limpeza diária:

Controle mecânico
É realizado principalmente com a técnica de escovação (preferencialmente elétrica de cabeça redonda), fio dental e irrigadores orais.

Controle químico
Os dentifrícios mais adequados são aqueles com propriedades antissépticas e antibacterianas, como o flúor.

Quer fazer um implante dentário? Uma dica.
www.oral360.com.br

Seguros Promo